.








Papo de amigo
(Arth Silva)


Tinha o costume de falar com o cachorro.
Chamavam-no de louco por isso, mas nem se importava. "Loucos são os outros", pensava. O carinho e a ternura do seu cãozinho eram maiores e, além do mais, sabia que conversar com o melhor amigo de quatro patas era um ato que muitos, em todo o mundo também compartilhavam. "Falar com cães não era loucura", levava isso como lema até o dia que, após algumas análises, descobriu-se esquizofrênico e dono de um cachorro imaginário.

6 comentários oníricos::

Isabela Xavier disse...

Muito bom!!
Adoreeeei esse.
No fim, eu ri e fiquei com pena do personagem, ao mesmo tempo.
Um dos mais criativos que já li (:

Arth Silva disse...

Que bom que gostou Isabela!

Fico muito feliz com isso. Esse é um texto que hesitei durante muito tempo postar por aqui, pela duvida quanto à qualidade dele. Legal saber que não foi só eu quem gostou!

Isabela Xavier disse...

Hesitou em publicar? Nossa, achei fantástico!

eucontista disse...

Muito bom! Ao final é possivel ouvir o bumbo e o prato da bateria. Imaginários também, claro!

Abraço!

Arth Silva disse...

Obrigado pelo comentário Eucontista.Legal ler isso. Vou reler mais meus textos guardados na gaveta digital do computador e reavalia-los. Talvez tenham qualidade.

Arth Silva disse...

Pois é Isabela Xavier, esse é um texto que eu havia escrito ha alguns anos, mas inicialmente achei o conteúdo dele meio fruto da minha alucinação cotidiana. "Ah, ninguem vai entender e se entenderem vão pensar: que idiota!" - eu pensava.

Mas esses dias acabei por encontrá-lo por aqui, reli, fiz algumas correções e resolvi arriscar.
Que bom que você gostou. Me sinto muito honrado com isso.



Este é um blog de sonhos cotidianos.
Toda e qualquer semelhança com fatos reais é mero plágio da vida.