.



Quando me prendi nos laços do seu embaraço
Me enrosquei em meus próprios passos
E me senti em dupla
mesmo estando só

Seus cachos se embaraçaram no meu olhar

E criaram nós entre nós
Enquanto o sol tingia seus cabelos 
De uma cor que ainda hoje, sei de cor...



Texto dedicado a Ele, a Ela e aos seus Elos
- Arth Silva -


2 comentários oníricos::

Marcelino disse...

Excelente o trabalho com os itens polissêmicos (nós/nós) e homônimos (cor/cor).Tô postando uma leitura de A rosa de Hiroshima, de Vinícius, baseada nesses itens. Parabéns.

Arth Silva disse...

Obrigado pela observação Marcelino. Muito legal encontrar um leitor que se atente a essas brincadeiras gramaticais que nossa língua nos permite. Quase todas as minhas poesias eu trabalho com essa ideia de palavras homonimas... em algumas até exagero,já ganhei até alguns premios de poesia, só que raramente alguém percebe essas brincadeiras kkkkk por isso nunca publiquei nada relativo a poesia, faço apenas por diversão mesmo.



Este é um blog de sonhos cotidianos.
Toda e qualquer semelhança com fatos reais é mero plágio da vida.