.

A técnica de rimas rápidas foi usado porque o poema tinha o intúiuto
de ser a letra de uma canção punk/hard-core.


Pecado Capital
(Arth Silva)

O Brasil se apaga em brasa
O país se afoga em fel
Qualquer palavra é palavrão
Letras pequenas no papel

Um país uma paixão
no difícil vício de viver
No war que se respira
Na derrota de vencer

Pecado capital
Eva, Serpente e Adão
no paraíso fiscal
Até quando eu vou cantar esse refrão?

Dúvida eterna
Divida externa
E a carteira ainda não tem identidade
Dívida eterna
Dúvida externa
É matar ou morrer...
Sem dó nem piedade

O partido está partido
Triste trópico
Sonho utópico
Verde, amarelo, azul, anil...
“Acorda Brasil!Porque eu vou dormir”

6 comentários oníricos::

WANCISCO FRANCO disse...

Crítica poética de extremo valor. Parafraseando o samba, o Brasil não merece o Brasil.
Abçs!

cloacapublica disse...

Por que TINHA o intuito? Será um bom hardcore.

Arth Silva disse...

Pois é , o projeto musical nao deu certo, ficando pra mim essa letra sem musica (orfã).

agora fica a letra para alguem com habilidades musicais melhores que as minhas musicalizar

Victor Belafonte disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Victor Belafonte disse...

Adorei a imagem, a crítica poética me lembrou uma música da autoria do glorioso Renato Russo - Que País É Este.
Para mim a'trocadibilidade', por assim dizer, entre dúvida e dívida ficou muito bem escrita somando-se às rimas finais (parte que mais gostei).

Parabéns cara!

Thaiane disse...

Que grande sacada a tua crítica poética. Adorei cada verso, especialmente "No war que se respira"...

Tava com saudade disso aqui.
Beijo!



Este é um blog de sonhos cotidianos.
Toda e qualquer semelhança com fatos reais é mero plágio da vida.